Blog

Entre Favaios e São João da Pesqueira: o mais interior do Douro

voltar

Parta à descoberta destas vilas mesmo no coração do Douro!

Catarine Martins

Catarine Martins

Email

Viajar pelo Douro é a certeza de encontrar paisagens arrebatadoras que nos conquistam ao primeiro olhar, vinho delicioso, qual néctar dos Deuses, gastronomia de comer e chorar por mais e gentes afáveis que sabem receber como ninguém. É a certeza de viver momentos únicos e inesquecíveis, presenciando a comunhão entre Homem e Natureza nos socalcos que, serpenteados pelo Rio Douro, já inspiraram artistas e escritores. E que, todos os dias, continuam a inspirar centenas de pessoas.

Afinal, ali repousa uma das mais bonitas regiões do nosso país, convidando a passeios demorados onde a alegria e a paz são uma constante.

Assim, e porque o que não falta no Douro são lugares especiais, hoje guiamo-lo até Favaios e São João da Pesqueira, onde não faltam recantos encantadores, quadros naturais únicos e, claro, muito vinho.

 

Favaios: terra encantadora do Moscatel e de paisagens únicas

Localizada no concelho de Alijó, na Serra de Vilarelho, a aldeia vinhateira de Favaios pode até não ser uma das mais conhecidas da região duriense, contudo, é daquelas que nos conquista mal lá chegamos, o que faz dela um lugar de visita obrigatória.

Com efeito, Favaios é uma aldeia antiga cuja história remonta à Idade do Ferro. Assim, apesar de dever o seu nome a “Flavias” (nome dado à segunda dinastia do Império Romano que, à data, governava a região), foi em 1211 que a aldeia recebeu o seu primeiro foral, pela mão de D. Afonso III.

Atualmente, a aldeia é conhecida maioritariamente pelo seu delicioso vinho e pela pacatez das maravilhosas paisagens que oferece sobre o Vale Encantado, arrebatando visitantes de todas as partes do mundo.

É precisamente na aldeia de Favaios que é produzido o conhecido Vinho Moscatel Galego Branco, que delícia portugueses e estrangeiros. Não é, por isso, de estranhar que sejam cada vez mais os turistas que queiram ver as vinhas que dão origem às castas de sabor único que resultam no Vinho Moscatel, um vinho de travo doce e aveludado, com notas florais e cítricas. Quem o experimenta apaixona-se pela sua enigmática e deliciosa leveza, querendo apreciá-lo até ao último gole.

E, poucas coisas sabem melhor do que desfrutar de um cálice de Moscatel enquanto se contemplam as vinhas e os planaltos a perder de vista. É como se o tempo tivesse parado e ali só houvesse uma deliciosa e arrebatadora paz.

Mas há mais em Favaios para além do vinho. Afinal, a aldeia é também conhecida pelo pão tradicional (também chamado de trigo de Favaios) a que ninguém resiste. Prove-o e aproveite para visitar o Museu do Pão e do Vinho onde as duas riquezas da região se casam, mostrando o que de melhor se faz no Douro.

Favaios, uma aldeia desconhecida, mas produtora do famoso Moscatel do DouroFavaios, uma aldeia desconhecida, mas produtora do famoso Moscatel do Douro
O Museu do Pão e do Vinho que combina as duas riquezas da regiãoO Museu do Pão e do Vinho que combina as duas riquezas da região

E, como aldeia histórica que é, Favaios guarda um vasto património arquitetónico que merece ser explorado: as muralhas do “Castelo dos Mouros”, a Igreja Matriz de São Domingos (onde poderá ver a torre sineira mais alta do concelho), não esquecendo as Capelas de Santa Bárbara, São Paio e Santo António e a Quinta de São Jorge onde há uma estela funerária romana.

Mesmo no centro da aldeia, pode ainda apreciar dois edifícios maravilhosos, antigas casas nobres que, ainda hoje, são imponentes: o Solar dos Sepúlvedas e a Casa dos Távoras. Prepare a máquina fotográfica porque vai querer registar tudo para mostrar aos amigos e, claro, para mais tarde recordar.

Se a esta altura já está rendido a Favaios e à sua riqueza vínica, histórica e gastronómica, a nossa sugestão é que embarque connosco no programa de um dia “Experiências no Douro”. Com saída a partir do seu hotel no Porto, a primeira paragem é a Foz do Távora onde irá provar alguns produtos típicos da região. Depois, será levado pela mais bela estrada do mundo - a N222 - até ao Cais do Pinhão, onde irá ter lugar o Cruzeiro.

E, em boa verdade, fazer um Cruzeiro no Douro é uma experiência tão fantástica quanto única, onde poderá contemplar a região de uma forma singular e apreciar paisagens que apenas podem ser vistas a partir do Rio Douro. Assim, é uma atividade obrigatória para todos aqueles que querem, verdadeiramente, conhecer o Douro.

A chegada faz-se tranquila, e o destino é agora a maravilhosa Quinta da Avessada que produz o néctar dos deuses conhecido como vinho Moscatel. Vai poder prová-lo e esclarecer todas as dúvidas sobre os vinhos produzidos na região duriense com os enólogos da Quinta. Vá até aos Jardins, e desfrute do seu cálice de Moscatel com a esplendorosa vista que só o Douro permite. Vai recordar esse momento para sempre como uma lembrança feliz.

A Quinta da Avessada é uma visita obrigatória no DouroA Quinta da Avessada é uma visita obrigatória no Douro
As vinhas responsáveis pelo sabor único do vinho MoscatelAs vinhas responsáveis pelo sabor único do vinho Moscatel

Depois, e porque a região duriense é também conhecida pela sua riqueza gastronómica, vai poder desfrutar de um almoço tradicional confecionado em potes de ferro, que lhe saberá pela vida, sobretudo quando a barriga já começa a dar horas.

Como lhe dissemos acima, o pão é também um dos tesouros de Favaios pelo que, para além de visitar o Museu do Pão e do Vinho, terá oportunidade de ir até à tradicional Padaria de Favaios e experimentar o pão maravilhoso que por lá se faz da mesma forma, há várias gerações.

Aproveite o passeio para se deslumbrar com o quadro natural envolvente e volte a casa com as energias recarregadas e com o coração cheio de memórias inesquecíveis.

 

São João da Pesqueira: onde o Douro é ainda mais bonito

Situada mesmo no coração do Douro, a vila de São João da Pesqueira é conhecida, claro, pelo vinho, mas também pelo quadro natural único que oferece sobre o Douro. Ali, as encostas rasgadas pelos socalcos desenhados pelo Homem fazem-nos suster a respiração, tamanha a sua grandeza. Para além dos vinhedos e do Rio Douro, também as amendoeiras em flor contribuem para uma paisagem avassaladora de inigualável beleza.

São João da Pesqueira, uma aldeia encantadora nas margens do DouroSão João da Pesqueira, uma aldeia encantadora nas margens do Douro
Deslumbre-se com as paisagens de cortar a respiraçãoDeslumbre-se com as paisagens de cortar a respiração

Com raízes ancestrais, são inúmeros os vestígios arqueológicos que se estendem por todo o concelho, desde igrejas seculares a palácios brasonados. A isto soma-se o facto de São João da Pesqueira deter o Foral mais antigo de que há memória e, claro, de ser o concelho do Alto Douro Vinhateiro que mais área classificada como Património Mundial detém.

Curioso é que o seu nome - São João da Pesqueira - deve-se a uma albufeira natural onde as várias espécies de peixes abundavam, fazendo do local um lugar de culto para pescadores que, por essa razão, lhe chamavam “a pesqueira”.

E, mais curioso é que o desenvolvimento vitivinícola da vila se deveu, e muito, a Marquês de Pombal, que ali viveu.

Mas, nem só de História e vinho se faz São João da Pesqueira. É lá que, acima da barragem da Valeira, se situa um dos mais deslumbrantes miradouros da região duriense: o Miradouro São Salvador do Mundo. Para além das capelas a mais de 700 metros de altitude, é a deslumbrante vista que faz deste um lugar especial. Ali, para além de testemunhar a comunhão entre o Homem e a Natureza, poderá contemplar o Rio Douro serpenteando, placidamente, o Vale Encantado num quadro que mais parece saído da mão de um artista, tamanha perfeição.

Também em São João da Pesqueira, como aliás em todo o Douro, come-se bastante bem. Entre os pratos tradicionais conta-se o irresistível cabrito assado no forno, famoso por ser delicioso. E, porque não há boa refeição sem sobremesa, o doce de amêndoas, que tem grande parte da produção na vila, é absolutamente imperdível. Mesmo que não seja apreciador de amêndoas, dê-lhe uma oportunidade: provavelmente, vai mudar de ideias. Também as bôlas de amêndoa são famosas na região e uma iguaria digna dos Deuses.

Com efeito, ir a São João da Pesqueira é uma experiência maravilhosa e avassaladora pelo que a nossa sugestão é que suba a bordo do Cruzeiro Régua - São João da Pesqueira – Régua, que para além de contemplar um maravilhoso Cruzeiro pelas águas do Rio Douro (onde se poderá deliciar com um cálice de Porto enquanto aprecia paisagens únicas), oferece também a oportunidade de um almoço tradicional e de visitar o Museu do Vinho, o Santuário S. Salvador do Mundo e as Caves do Vinho do Porto.

 

Consequentemente, o Douro está à sua espera como nunca o viu, num descarado convite à felicidade. Marque o seu passeio e desfrute de uma das mais mágicas regiões de Portugal de uma forma única e inesquecível.

Catarine Martins

Catarine Martins

Email
Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça as nossas Políticas de Privacidade e Cookies aqui