Blog

A Região do Tua: o Tesouro a Não Perder!

voltar

Descubra porque vai querer visitar a maravilhosa região do Tua.

Catarine Martins

Catarine Martins

Email

O Douro é conhecido pelo vinho do Porto, mas, tão importante quanto o néctar dos deuses que por lá se produz, são os tesouros que esconde, onde verdadeiros quadros naturais nos obrigam a suster a respiração e nos impressionam pela sua beleza e grandiosidade. Não é por isso de admirar que a região duriense tenha inspirado escritores, pintores e muitos anónimos.

Um dos tesouros do Douro que vale a pena conhecer é a Região do Tua. Localizada no Alto Douro Vinhateiro - entre o vale do rio Pinhão e Carrazeda de Ansiães -, esta é uma área de inigualável beleza onde a geografia e o rio proporcionam uma paisagem absolutamente única e espetacular.

E falando em natureza - que nos arrebata por completo nesta região -, é também aqui  (na região do Tua) que se situa o Parque Natural Regional do Vale do Tua que tem, aproximadamente, 25000 hectares e se prolonga entre Vila Real e Bragança, abrangendo cinco municípios: Alijó, Murça, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães e Mirandela. Por isso, não é de estranhar que a paisagem se divida entre serras, planaltos e vales onde se avistam, encaixados, os rios Douro, Tua e Tinhela.

Vale do TuaVale do Tua
Margens do Rio TuaMargens do Rio Tua

Na verdade, esta região é conhecida pela variedade de litologias e estruturas geológicas que justificam a diversidade na paisagem. Isto deve-se, claro, a características litológicas e geológicas muito específicas que incluem profundos vales e vertentes declivosas, sobretudo nos troços dos rios Tua e Tinhela. Há também na região rochas que impressionam, chamadas de cristas quartzíticas e zonas de planalto em que o relevo não é muito acentuado, o que cria um efeito visual bastante impactante. Ou seja, esta é uma região geológica e naturalmente muito bonita, com paisagens únicas que dificilmente encontrará noutro lugar.

Para além disso, esta é uma área muito rica quer em flora quer em fauna. Há bosques de sobreiro nas zonas mais quentes do Vale do Tua e bosques de carvalho-negral nas zonas mais frias, das serras aos planaltos. E estão identificadas mais de 700 outras espécies de flora.

Quanto à fauna, são mais de 943 as espécies diversas que têm o seu habitat na região do Tua. O que faz desta uma zona muito rica quer a nível paisagístico, quer a nível biológico.

Mas, nem só de fauna, flora e paisagens se faz a região do Tua. Também em termos de património, a região que integra, parcialmente, o Alto Douro Vinhateiro tem alguns pontos de interesse que vale a pena visitar. Um deles é o Castelo de Ansiães.

Com mais de 3000 anos, o Castelo de Ansiães divide-se em duas plataformas que correspondem à zona de alcáçova e à zona residencial e é a prova viva de que ali existiu uma vila medieval. A primeira prende-se com a primitiva implantação roqueira. Ou seja, trata-se de uma área destinada a albergar os moradores em caso de haver um conflito ou uma guerra. A segunda está relacionada com a zona urbana, que tem uma segunda linha de muralhas com mais de 600 metros e três torreões retangulares. Acredita-se que as características geomorfológicas do lugar onde se situa o Castelo tenham contribuído, e muito, para a sua ocupação. E, segundo os Historiadores, foi precisamente durante a Reconquista Cristã que assumiu particular importância. Foi nessa época, aliás, que Ansiães recebeu a sua primeira carta de foral pela mão do rei leonês Fernando Magno. Entre os séculos XII e XV, registou-se um crescimento de toda a zona muralhada. Assim, os reis portugueses D. Afonso Henriques (em 1160), D. Sancho I (em 1198), D. Afonso II (em 1219) e D. Manuel I (em 1510) reconheceram e promulgaram forais à vila de Ansiães.

Mas, é impossível falar da região do Tua sem falar da Linha Ferroviária do Tua. Apesar da linha centenária ter sido desativada em virtude da construção da barragem, o troço entre Brunheda e a Estação Ferroviária de Mirandela - Carvalhais continua a existir e nele circula o Comboio Turístico do Douro. O que significa que se quer conhecer a região esta pode ser uma boa forma de o fazer, apesar da linha já não ter o esplendor de outrora.

Comboio Histórico do DouroComboio Histórico do Douro
Este troço de rio não é visível a partir de estradas nacionaisEste troço de rio não é visível a partir de estradas nacionais

Mas, por falar em conhecer a região do Tua, também um Cruzeiro no Douro é uma excelente opção, senão mesmo a melhor. Se quer contemplar toda esta zona de forma única e maravilhar-se com a paisagem de cortar a respiração, apenas acessível de barco, embarque no Cruzeiro de 2 horas entre o Pinhão e o Tua, num tradicional barco rabelo (típicos barcos que levavam as pipas desde o Alto Douro Vinhateiro até às Caves de Gaia).

A foz do Rio TuaA foz do Rio Tua
Barco Rabelo no PinhãoBarco Rabelo no Pinhão

Para além de toda a viagem ser acompanhada de um áudio guia, poderá desfrutar de um cálice de vinho do Porto ou Moscatel enquanto se delicia com a paisagem e guarda na memória o esplendor de tão maravilhoso passeio. Afinal, a melhor forma de poder observar a região do Tua é mesmo de barco. Não se esqueça da máquina fotográfica e bom passeio!

Catarine Martins

Catarine Martins

Email
Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça as nossas Políticas de Privacidade e Cookies aqui